Corrida na Areia

É importante iniciar esse tópico advertindo para os devidos cuidados que o indivíduo deverá ter para não se lesionar. Primeiramente, o alongamento básico deverá ser feito nas pernas para que se evite câimbras e demais lesões advindas do esforço exacerbado da região inferior (pernas). Deve-se escolher horários em que a areia não esteja quente demais, ou seja, menor incidência solar. O uso de óleos ou talco para que reduza o atrito entre as coxas e entre os braços e axilas é fundamental para que se tenha conforto no iter treino. Ademais, cumpre-me alertar também sobre o uso de filtro solar para que sua pele não sofra agressões.

Corra sempre na areia fofa, evitando assim impacto direto nas articulações, uma vez que não está equipado com tênis para tal absorção. Outro fato, é o de que correr em passos largos aumenta o impacto nos joelhos, portanto controle uma distancia entre as passadas para que sua corrida não se torne um tormento de meses no hospital.

Se você possui lesões no joelho, evite o asfalto e quaisquer esportes que ocasionem impactos. Pode então usar bicicleta, transport e até mesmo a corrida leve na areia fofa, sempre no patamar de cima da praia onde o terreno é plano e a areia é fofa e homogênea.

Inicie seu treino de forma gradativa e acredite em seu potencial de crescer sempre. Com 20 minutos totais será um ótimo inicio que poderá ser repetido por uns 10 dias, sendo seu treino de corrida dias alternados, ou seja, correrá 5 de 10 dias.

Seu limite deverá ser medido pelo calor em sua cabeça e pelo peso sentido na batata de suas pernas. A respiração também ajuda neste “termômetro” de forma que se você começa a ofegar podem acontecer dois problemas:

-você não sabe respirar para este tipo de treino;

-você está exausto e vai cansar em breve.

90% estão no primeiro caso porque de fato desconhecem seus limites.

Pois então vamos aprender neste parágrafo como respirar em momentos de limite corporal:

–       traves a língua embaixo da boca, de forma que fique no meio da arcada dentária inferior;

–       respire pela boca e esqueça a porcaria do nariz, ele só vai te fazer cansar por que não tem diâmetro suficiente para ventilar o ar que precisa;

–       engolir saliva poucas vezes em momentos que consiga controlar o ritmo da respiração, vale dizer que dias de vento forte você irá engolir mais vezes, mas que é normal o ressecamento da traquéia.

Retornando aos sinais corporais de calor na cabeça e pernas pesadas, podemos dizer que estes serão constantes no seu treino, mas não poderão se tornar dores, então vamos a prática:

Se você começa a sentir queimar a perna e continua correndo e logo depois intensifica a um ponto tal que se curva para continuar a corrida, reduza seu ritmo mas mantenha o pique, ou seja, mantenha correndo porém em velocidade menor.

O calor na cabeça significa calor demais pelo fator externo solar, ou na maioria das vezes significa um limite do corpo indicando que suas pernas estão puxando boa parte do sangue e a atividade corporal está intensa, portanto mantenha um pouco o limite e reduza um pouco a velocidade de forma a não parar de correr.

OBS: Não é um tópico explicitado por um profissional, portanto não são regras e sim dicas de experiência própria que funcionaram no meu caso e passo adiante por este site.

OBS: Faça exames de rotina para monitorar sua função cardíaca que é fundamental nesse tipo de atividade.

Carlos Imbrosio Filho.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: