O ócio é a doença que mais mata

Não trabalhar significa ficar ocioso a maior parte do tempo. Estar ocioso te faz temer aquilo que não tem motivo para ser temido. Te faz pensar em coisas impossíveis e criar problemas em assuntos resolvidos.

Nos faz ficar pensando besteira nas coisas e somente enxergar as coisas ruins. Não obstante, também nos faz sentir inútil e incompetente. Nos sentimos como amebas dependentes e solitárias.

Quando ficamos sem fazer nada, estamos contribuindo para as nossas doenças, e assim criamos as chamadas “síndromes do ócio”.

Ligar para os outros sem sentido, fazer programas sem noção, ficar jogando um jogo que já zerou cinco vezes, ligar o computador e desligá-lo por pelo menos seis vezes ao dia com pretexto de fazer a mesma coisa em todas as vezes que ligou, são sintomas de que não está bem com você.

Temos dentro de nós fatores que necessitam de ação plena para que não nos sintamos “inúteis”. Dentre eles o fator independência financeira e a tão cobiçada inclusão social no grupo onde vive são os dois mais relevantes. Pensa comigo:

Viver em uma comunidade e conversar sobre moda e produtos de grife é como pregar num deserto. Se falar alguma fofoca de alguém que mora ali, ou reclamar da falta de luz, gás ou qualquer coisa vai se sentir mais incluído neste grupo.

Numa festa do Jockey Club, falar de problemas sociais e pedir um breve “uhum, entendo…” da parte que ouviu. Já se você comenta sobre grifes, apostas milionárias, investimentos na bolsa, será bem aceito.

Portanto devemos nos sentir inclusos no nosso grupo e por bem dizer, de forma independente. Nessa hora entra o trabalho. Este te faz mudar suas atitudes sem depender mais do outro. Te torna capaz do que antes não era e muda seu comportamento de forma a ser alguém autônomo.

O trabalho nos cria a possibilidade de construirmos nossos sonhos sem contar nada a ninguém, mas também pode nos dar uma liberdade do caminho errado para as coisas.

Exemplo:

Seu emprego, salário satisfatório e você se sente livre dos seus pais. Primeira coisa que pensa?! Vou sair com a galera e curtir tomando todas!!! Agora eu posso viajar e comprar minha bebida, alem do mais não preciso pedir dinheiro para boate, eu pago e escolho qualquer lugar!

Se 20% dos novos empregados pensarem assim, vou abrir um bar ou uma danceteria que farei o melhor negocio! E estou certo!

Voltando a questão do trabalho.

Penso que quando trabalhamos nos sentimos úteis e honestamente inclusos na sociedade porque ganhamos com nosso suor aquilo que gastamos. Não devemos favor as pessoas que nos ajudam antes de trabalharmos.

Muito mais do que ganhar seu próprio dinheiro é conseguir enxergar que você tem agora algo garantido para poder viver honestamente, sem ter que se desviar para o caminho do crime.

Gostaria que os empregadores vissem não somente o currículo de seus pretendentes, mas também a pessoa que está por trás daquela formação toda. Hoje precisamos focar num quesito de aparência mais do que nunca, porque o mundo que diziam ser machista olha a mulher, inclusive as belas no topo do ranking em procura para emprego.

Não quero ser invejoso com este comentário mas minhas experiências de vida podem demonstrar isso na prática. Vamos ao caso. Quando um mulher é superior e vai contratar ela vê tão somente o currículo e não liga se o cara é baixinho, gatinho ou qualquer outro atributo. Quando há um homem no comando, contrata as meninas novas, gatas e com disposição para ir em horas extras, no sentido da palavra.

Eu conheço um monte que não tem nada na cabeça mas ta ganhando bem e contratada em um escritório renomado. Resta saber como se deu o PROCESSO SELETIVO?!

Não quero contudo desmerecer as gatas inteligentes, nem as gatas burras.

Outra coisa que não entendo?!

O processo seletivo chama vários porque?!

Se for estagiário deve chamar ou bananas desesperados ou submissos por natureza, vide o contrato de carregador de papeis.

Se for cargo de direção devem chamar os de atitude e dinâmicos vide a exigência de liderança do cargo.

Quem seleciona deveria ver antes o que quer. Como por exemplo:

Querem contratar uma assistente mulher com curso superior completo. Porem vão homens feiosos com curso superior incompleto.

Se quer uma gostosa para o cargo porque chama outras cinco feiosas?!

Se quer com curso superior porque faz distinção entre as instituições?! Basta colocar somente PUC, UFRJ e UERJ.

Simplesmente para mim é como ir a um circo. Me dá vontade de rir.

E são vários palhaços.

O entrevistador te pergunta:

–       como se imagina daqui uns anos na empresa?

–       Bem, se esta porcaria ainda existir eu quero estar no seu cargo porque você é um banana!

Eu acho que nasci no mundo errado!

Carlos Imbrosio Filho

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: